domingo, 21 de janeiro de 2007 | By: Mandi

The best is yet to come*

Toda vez que eu sento em frente ao micro para escrever um texto para este blog, eu tento pensar em um tema engraçado. A verdade é que nem sempre é possível. A vida também não é engraçada o tempo inteiro. Então, por que eu tenho a obrigação de ser? Não tenho.
Aliás, tenho todo o direito de filosofar, vez por outra.
Ontem fui ao Hopi Hari com a Jujuba, levar suas primas paranaenses. Uma delas, a Cindy, morria de medo de brinquedos altos, mas não deixou de ir a nenhum deles. Fomos à montanha-russa, ao elevador que despenca de uma altura equivalente a um prédio de 23 andares (La Tour Eiffel)... O mesmo elevador que, pouco antes de irmos embora, encrencou e ficou preso lá em cima, com quatro pessoas, por uns 15 minutos.
Tempo durante o qual um cara, de quem a namorada e irmão estavam presos no tal brinquedo, ficou papeando com a gente. Contou que não tinha acompanhado os dois porque tinha medo de altura e sabia que ia passar mal. Depois disse que o medo dele tinha fundamento, olha só o que tinha acontecido...
Dois exemplos. Uma pessoa que tinha medo, enfrentou e teve a chance de se divertir. Outra pessoa que não foi, aconteceu o que ele achou que ia acontecer, e ele terminou o dia com um “eu te disse que não ia dar certo...”. Mas, será que ele se divertiu?
Fico pensando, então, de quantas chances na vida a gente deixa de aproveitar por medo das conseqüências. Medo de dar errado. Mas, talvez, mais medo ainda de dar certo, quando não é só uma brincadeira no Hopi Hari...
E isso acontece em todos os aspectos da vida. Medo de verbalizar um pensamento e não poder voltar atrás. Sabe, quando a gente fala uma coisa e depois se arrepende? Parece que a palavra, depois de dita, toma forma, ocupa espaço. Tem conseqüência. E você nunca sabe se vai ser boa ou ruim. Melhor ficar quieta, diria minha avó Vera.
Quem nunca passou por essa situação? Acontece o tempo inteiro, pense bem. E em todos os aspectos da vida. No trabalho. Você deixa de sugerir algo, não se arrisca em determinado momento, por acreditar que aquilo não vai dar certo, que ninguém vai te ouvir. Tem medo de levantar a voz, se fazer ouvir ou pedir um salário maior, ainda que você saiba que o máximo que pode acontecer é você levar um não ou, acredite, alguém te ouvir e concordar com você.
Com os amigos. Quando eles te pedem um conselho e você acaba deixando eles na mão porque não sabe o que dizer, ou não quer se envolver. Ou quando a gente deixa de pedir ajuda, porque não sabe o que vão pensar da gente?
Mas, talvez o pior seja quando você conhece alguém especial e deixa que ele (no caso dos leitores, ela) passe por sua vida. E, quando você percebe, a pessoa já pode estar lá longe, fora do seu alcance. Tudo por medo. Por pensar demais nas conseqüências. Quando, na verdade, o que você realmente queria era a chance de correr o risco, dando certo ou errado...
Fez algum sentido? Talvez não seja para fazer. Talvez nem tudo na vida tenha de dar certo para valer a pena.
No final das contas, o que me resta é saltar de pára-quedas. Porque, pelo menos de altura, eu não tenho medo.

*The best is yet to come (O melhor ainda está por vir), música interpretada por Frank Sinatra, e que começou a tocar quando eu concluia esse texto e buscava um título para o mesmo. Como se não bastasse ser o velho blue eyes cantando, só o fato dessa música tocar nesse momento me parece motivo o suficiente, ao meu ver, para o nome aparecer lá em cima.

5 observações:

Irineu Akio Kawato disse...

Ho Ho Ho!
Quem tem medo do lobo-mau?
Boa Amanda! Vou continuar lendo os seus textos.
Beijos e boa semana

Anônimo disse...

Vou jogar tudo pro alto, vou deixar acontecer.TEr coragem dar um salto em queda livre por vc!!"
Lálálálá...

Anônimo disse...

Minha opinião, amiga? Se joga!!!!

Ludmila disse...

Medo... quem não tem? Eu tenho... até demais... e pior que não é medo de altura, de barata, de escuro... é esse medo de verbalizar. "(...) a palavra, depois de dita, toma forma, ocupa espaço. Tem conseqüência. E você nunca sabe se vai ser boa ou ruim. (...)"... é isso aeee!!!
Beijokas

Anônimo disse...

Toda noite acaba com o Sol nascendo. Se não der certo, o Sol continuará nascendo. Talvez por isso todo pára-queda tenha um reserva.