sábado, 18 de agosto de 2007 | By: Mandi

No plantão...

Hoje eu resolvi trazer o iPod para a redação, para animar o nosso plantão. Com duas caixinhas de alto-falantes. Tudo ia bem, até a seleção de Frank Sinatra começar a tocar. Engraçado como o velho Blue Eyes é capaz de despertar lembranças em todo mundo que já vivenciou momentos bons ao som de suas músicas...
Tive de escolher outra coisa para tocar, porque o astral começou a baixar entre a galera e isso, num plantão, pode ser fatal...
E, de repente, me ocorreu que a única forma de apagar as lembranças que certas músicas trazem é criando novas lembranças para estas músicas. Mais novas, mais fortes e, se possível, mais felizes.
sexta-feira, 17 de agosto de 2007 | By: Mandi

Uma pergunta

Jujuba sempre me pergunta isso e, até hoje, não encontrei resposta.
Aliás, eu ando me questionando sobre isso ultimamente.
Então, leitor, leitora... se você tiver a resposta, deixe eu seu devaneio.
Obrigada,
Mandi

Afinal, qual é o critério da justiça divina?
quinta-feira, 16 de agosto de 2007 | By: Mandi

Uma frase

Não lembro onde li essa frase recentemente, mas achei genial...

"Não respeite um homem apenas por seus cabelos brancos. Afinal, os canalhas também envelhecem"
terça-feira, 14 de agosto de 2007 | By: Mandi

A melhor forma

"A melhor forma de esquecer/É dar tempo ao tempo/A melhor forma de curar o vício/É no início/A melhor forma de escolher/É provar o gosto/A melhor forma de chorar/É cobrindo o rosto/Evitar as rugas/É não olhar no espelho/Esvaziar o revólver/É puxar o gatilho/A melhor forma de esconder as lágrimas/É na escuridão/A melhor forma de enxergar no escuro/É com as mãos/As idéias estão no chão/Você tropeça e acha a solução/Acabar com a dor/É tomar um analgésico/Matar a saudade/É não olhar pra trás/A melhor forma de manter-se jovem/É esconder a idade/A melhor forma de fugir/É a toda velocidade/As idéias estão no chão" (Titãs)

Estava tomando banho hoje de manhã, pensando nessa música.
Sou chocólatra abstêmia, como alguns aqui já sabem. Aí minha mãe comprou um sabonete líquido para mim de... chocolate. Legal. Logo de cara, por ser um sabonete líquido, parece uma calda de chocolate... e o cheiro? E a textura... É como se a expressão "vai lamber sabão" adquirisse um novo significado...
Óbvio que eu não lambi sabão. Maldade sua pensar isso de mim.
Na realidade, eu resisto. E começo a filosofar sobre a melhor forma de se fazer várias coisas, como diz essa música aí em cima. E, por mais que a gente tente achar várias soluções, a real é que há apenas duas opções. Encarar, de frente e peito aberto. Ou ignorar, fugir, fingir que não é com a gente.
Eu encaro meus vícios de frente. Não como chocolate porque me faz mal, mas sou capaz de lidar com sua existência em minha vida. Até o momento em que ele deixa de me fazer mal porque não me afeta mais, ele pode estar presente - no formato de sabonete líquido, por exemplo - que eu não ligo.
Isso se chama liberdade.
A liberdade pode ser assustadora, em alguns aspectos. Para quem a vive, para quem vê o outro vivendo. Eu gosto da liberdade... e, quanto mais ela me assustar, melhor. Mais eu vou aprender a lidar com ela, a encará-la de frente... A aprender mais sobre mim mesma. Eu sei quem eu sou.