segunda-feira, 30 de julho de 2007 | By: Mandi

Mulherzinha

Tudo bem, tudo bem. Eu confesso. Eu também tenho um lado mulherzinha. Pior do que isso. Um lado mulherzinha prendada. Digna neta de dona Vera. E eu me lembrei disso ontem...
Estava olhando umas fotos do ano que passei nos Estados Unidos. Quando chegou o frio e com quase nada para se fazer à noite, eu comecei a tricotar - o que aprendi com minha avó quando tinha oito anos. E disso resultaram gorros, cachecóis e ponchos...
Tricotei um poncho enorme para mim, com uma lã na cor rosa velho. Era enorme, e ótimo para o frio de lá. Imaginei que nunca usaria aqui, então acabei deixando por lá - na esperança de que minha host mother me enviasse pelo correio, como ela fez com algumas das minhas coisas. Se ela enviou? Claro que não. Provavelmente ficou para ela, que já havia crescido os olhos para o "handmade poncho"... Fazer o quê?! Isso porque eu fiz um para ela, de presente de Natal... Mas, por que ter um, se você pode ter dois? That´s the american way... Too many options...
Minha mãe não me perdoa por isso. Porque ela queria o tal do poncho, de qualquer jeito. E ontem, vendo as fotos comigo, me cobrou o tal do poncho. Lá vou eu tricotar... Hoje vou ver se compro lã... Aliás, minha mãe é a maior beneficiária do meu lado mulherzinha. Bateu a vontade de comer quiche, manda a Amanda para cozinha. Bateu a vontade de comer risoto de arroz integral? Amanda de novo. Quer um poncho? Chama a Penélope... ah, não tem Penélope? Então manda a Amanda, oras....
Eu mereço... Mas, quer saber? Eu gosto de cozinhar e tricotar por duas boas razões. Primeiro, porque eu não sou obrigada a fazer essas coisas, faço porque quero e gosto. Segundo, porque são ótimas terapias... Eu recomendo.

3 observações:

Serjones disse...

Faz um risoto de lã pra mim?

Anônimo disse...

E um poncho integral pra mim?

pestaninha disse...

Não sabia que vc pilotava!!! Vamos marcar um jantarzinho!!! Eu providencio a cana!
Bjs