domingo, 1 de julho de 2007 | By: Mandi

Diálogo esclarecedor com um interlocutor anônimo

- Se você colocar essa história no seu blog e dizer que fui eu que te contei, eu vou negar. Vou dizer que foi você quem inventou tudo.
- Tá, e se eu não revelar o seu nome, posso colocar o diálogo?
- Você é jornalista, sabe que deve proteger suas fontes. E o que eu vou te contar pode até me comprometer, me queimar com os meus amigos...
- Mas, por que tanto drama? O que poderia ser tão grave?
- Não é grave. Mas, pense bem... Homem que admite fraqueza é chamado de viado. E eu não sou viado, mas eu já estou de saco cheio dessa mania feminina de sempre se colocar no papel da princesa que precisa ser salva, sempre à espera do príncipe encantado.
- O que é que isso tem a ver?
- Tem tudo a ver. Vocês, mulheres, não entendem nada. Estão tão acostumadas a esperar por um príncipe encantado que nem conseguem perceber que, muitas vezes, nós é que estamos esperando uma princesa encantada, uma heroína, para nos salvar.
- Até parece...
- Você nunca vai conhecer um homem que admita sua fragilidade. Ele até pode fingir uma certa fragilidade se estiver afim de ganhar a mulher, mas admitir de verdade, nunca. Eu vi o que você escreveu no outro dia, sobre os homens dizerem uma coisa e pensarem outra. Isso acontece, principalmente, porque vocês não estão muito interessadas em ouvir o que a gente diz...
- Claro que estamos. Vocês é que não falam...
- Claro que não. A gente não fala porque a gente aprendeu que é melhor ficar quieto, ouvindo vocês. Vocês não querem ouvir ninguém, vocês querem ser ouvidas. E ai do cara que não prestar atenção no que vocês dizem. Agora, eu te pergunto, e vocês, quando ouvem o que a gente tem a dizer, sem desdém?
- Eu estou ouvindo você...
- Está porque é do seu interesse. Porque se não fosse... Tente pensar no seu último relacionamento e me diga se você realmente ouvia o cara, se você realmente estava lá por ele...
- Eu achava que sim, mas depois dessa conversa estou em dúvida...
- Vocês, mulheres, não têm noção nenhuma. É muito fácil sentar aí e nos criticar... Criticar, é tudo o que vocês sabem fazer. E nos jogar para outras mulheres... E depois ficarem se perguntando o que fizeram de errado ou, o caminho mais fácil como sempre, simplesmente resolver que somos nós que não prestamos.
- Acho que quem está generalizando agora é você...
- Então tá. Pode até ser. Mas nós estamos no mesmo barco. Homens e mulheres querem a mesma coisa. Quem sabe um dia a gente não se entende?
- Quem sabe...

(Quando der eu faço um post com a continuação dessa conversa)

2 observações:

Anônimo disse...

uahuah
muito interessante...

jujuba disse...

Na próxima encarnação eu quero nascer homem. Já decidi isso.
Papai do céu, anota essa.