quinta-feira, 14 de junho de 2007 | By: Mandi

Querido Marcunda:

A verdade é que ontem, quando conversamos, você foi cruel. Aproveitou tudo o que sabia sobre mim e me desmontou, sem ter dó. E teve a cara de pau de dizer que era para o meu próprio bem e que me disse tudo aquilo porque gostava de mim e se importava comigo.
Não sei se você tinha noção do que estava fazendo.
Sabe o que é alguém te conhecer bem o suficiente para te destruir, por completo, ignorando sua fragilidade?
E então eu fui dormir.
Dizem que o travesseiro é um bom conselheiro.
Não sei se é.
Aí hoje de manhã eu acordei. E me lembrei que essa noite eu sonhei. Sonhei com as crianças que eu tomava conta lá nos EUA, os pestinhas. É estranho, mas vez por outra eu sinto saudades dos moleques. Sinto saudades dos momentos bacanas que eu tive com eles, como eu gostava de passar horas lendo com eles. Aliás, o sonho foi sobre isso. Das vezes que eles pediam aos pais para deixarem eu ler para eles antes de eles dormirem...
Se esse sonho tem algum signficado? Não sei, talvez tenha sido só um sonho.
E eu acordei mal. Procurando os caquinhos de Amandita espalhados pelo meu caminho, apesar de não ter sido isso o que você me mandou procurar. Pensei na única coisa que me faria me sentir melhor. Ramones. "Loco Live".
Joey Ramone é meu pastor e nada me faltará...
E foi ouvindo Ramones que eu entendi as coisas que você me disse. E, mesmo discordando de algumas delas - não poderia ser diferente, né - eu quero te contar que eu resolvi jogar os caquinhos da Amandita no lixo. Pelo menos aqueles que não servem para nada.
E te dizer que hoje eu tive um bom dia. De verdade.
Vai ver é isso mesmo. Para se construir algo novo, é preciso destruir o antigo, aquilo que não serve mais. E depois fazer uma boa limpeza, para não deixar que os cacos fiquem nos caminhos, correndo o risco de se machucar por conta de um esbarrão acidental.
É isso.

1 observações:

Aqna disse...

Amandita. Fui duro? Sim, fui. Mas qual a razão por trás disso? Well, pensando, cá com meus botões, percebi que não adiante termos pena de nós mesmos não. O que temos que fazer é pensar que nada acontece por acaso. Aquilo que é duro e dolorido hoje, amanhã, será uma lembrança que servirá de aprendizado. Pode ter certeza de que, aos jogar fora os caquinhos, vc renasce para a vida e aí começa uma nova Amandita. Apaixone-se por você, o resto, é resto e consequência. Beijos!!!!