quinta-feira, 14 de junho de 2007 | By: Mandi

O homem sincero

O Homem Sincero é um de meus blogs favoritos.
Descobri ele por acaso.
É assinado por Fabio Hernandez, um escritor que tem publicado um livro com o mesmo nome.
Daí hoje tinha o seguinte post: "Inteligência atrai inteligência?"
O questionamento dele partiu da releitura do livro "Contraponto", de Aldous Huxley. Tomei a liberdade de reproduzir parte do que ele disse:
Num trecho, uma mulher casada, provocativa e flertadora diz a um homem – ao qual oferece a vista poderosa de um pedaço dos seios pelo decote ousado -- mais ou menos o seguinte: “Uma pessoa inteligente não se casa com outra pessoa inteligente. Veja, por exemplo, meu caso. Meu marido vive reclamando que sou inteligente demais.” É uma frase que faz pensar. Não sei se é uma frase genial ou idiota. E você, que acha?
Eu sempre brinco que, na próxima vida - se houver uma - eu quero nascer e permanecer burra. E, se Deus ajudar, vir loira, já que, segundo a sabedoria popular, elas se divertem mais. Mas eu queria mesmo é ser burra. Daquele tipo que ri de tudo pelo simples fato de não entender o que está acontecendo (gente, acabei de lembrar de alguém assim... a Mariane. Pronto, quero vir igual à Mariane. Mas aí a Juba não seria minha amiga... não sei, é um preço alto demais, viver esta vida sem ter a Gorda ao meu lado). Hoje, meu humor acaba quando eu tenho de explicar a piada...
Mas a verdade é que a vida é cruel. Não adianta ser ruiva e inteligente, porque as loiras (burras ou não) sempre levam a melhor... É uma constatação óbvia, eu sei. Azeda? Nada.
Certa vez meu amigo Marcunda me sugeriu descolorir o cabelo e tentar viver como loira por pelo menos uma semana. Impossível, eu diria. Me faltam qualidades.
Onde é que eu estava mesmo?
Ah, isso mesmo. A frase é genial. E deixa pra lá, que eu vou dormir.

2 observações:

jujuba disse...

Realmente, ultimamente tenho andado muito tolerante com terceiros, mas se vc fosse a Mariane, certamente não contaria com a minha amizade.
Mas pense que... para pessoas intelectualmente limitadas, que desconhecem outro mundo a não ser o hi-hi-hi e a graça de piadinhas sem graças, não é necessário ter amigos fiéis.

Você não consegue mesurar isso porque vc sabe o que é ser amigo, o que é ser racional, o que é pensar. Agora tire um dia pra vc, bote a risadinha hi-hi-hi no rosto e vá para uma festa cheia de gente esquisita. Imagine que cada um deles tem cara de frango assado, com direito a um ossinho pendurado na cabeça.
Daí vc vai ficar dando risadinhas hi-hi-hi a noite inteira e nem vai ligar pro que estão falando...

tem horas que o melhor é ser superficial, mon amour.
Beijo da gorda

Anônimo disse...

mensurar, perdoe o erro.
Inadmissível para jornalista.