sábado, 21 de abril de 2007 | By: Mandi

Tiradentes e a inocência da infância

A história que vou contar nada tem a ver com a complexa arte de ser mulher. Poderia até soar como uma piada de loira, mas na realidade, é um exemplo de como devemos tomar cuidado com as repostas que damos para as pessoas. Um dia estas respostas se viram contra seus autores... ou contra nós...
Quando eu era criança, todo ano, nas férias de julho, minha família viajava para o Sul de Minas. Era tradição, desde que minha mãe e minhas tias eram crianças... Quando eu tinha uns quatro anos, em vez de irmos para Caxambu, como fazíamos sempre, fomos para as cidades históricas. Tiradentes, entre elas.
Ontem, conversando com a minha mãe, ela disse que com todo aquele tamanho, eu fiquei indignada com dona Maria Louca, uma das responsáveis pela morte de Tiradentes. Ela contou que eu fiquei inconformada, que eu não parava de falar nessa história (qualquer semelhança com a adulta que eu me tornei é mera coincidência).
Tudo isso para chegar ao momento em que, depois de andar para cima e para baixo um dia inteiro, me lembro que chegamos a um velho casarão - que ficou registrado na minha memória como sendo a casa de Tiradentes, mas eu tinha quatro anos, então não tenho certeza.
Cansada e sem paciência, fui perguntar ao meu avô Elzinho (meu avô chamava Elzeário. Trash, não? Por isso sou contra pais que sacaneiam os filhos ao escolher nomes estranhos) onde estávamos. "Aqui é a casa de Tiradentes", ele respondeu. "Mas, vô, quem é Tiradentes?", eu perguntei. Meu vô, sempre muito sacana, respondeu. "É o dentista da sua mãe". E eu me dei por satisfeita.
Alguns anos se passaram e eu estava na terceira série. A terceira série foi o pior ano da minha vida escolar. Eu tinha aula com uma bruxa - com direito a verruga na cara - chamada Hosana. Nutríamos um ódio mútuo uma pela outra. Eu tinha horror dela. Acho que o estresse que ela me causava era tão grande, que eu fiquei propensa a tudo que há de ruim: tive uma luxação no joelho, depois que um garoto empurrou um outro em cima de mim, na escola mesmo. Tive uma infecção na garganta que eu não conseguia nem comer. E, de brinde, tive uma crise de bronquite asmática que tornou a necessidade de fazer inalação obrigação diária durante todo o período do inverno. Foi um ano agradável, ironicamente falando.
Hosana dava aula de português, geografia e história. E eis que um dia, durante uma aula, Hosana pergunta: "Quem foi Tiradentes?". E eu, botando fé na sabedoria do meu avô, não pensei duas vezes: "Foi o dentista da minha mãe". Bastou para eu tomar uma bronca homérica.
A lição que ficou? Nunca mais abrir a boca na aula da Hosana. E que, Tiradentes, na verdade, foi um mártir blá-blá-blá blá-blá-blá...
Tá, foi um post fraco. Mas um dia eu melhoro...

1 observações:

Jujuba disse...

hahahahahhaha

eu não achei um post fraco.
Eu já dei uma dessas, quando surgiu a internet.

Minha tia tinha uma loja com esse nome. Dai a professora perguntou, alguem sabe o que eh a internet?

eu respondi: é a loja da minha tia... mas como a senhora sabe, se ela fica lá em fóz do iguaçu?
hahahahha


beijo da gorda