terça-feira, 6 de março de 2007 | By: Mandi

O primeiro bebê

Dona Vera, minha avó, tem oito netos. Aos 81 anos, ela nunca admitiu, mas esperava a oportunidade de ter um bisneto. Queria fazer casaquinhos de lã para mais uma geração da família, assim como fez com a minha, a da minha mãe... Essa realidade, no entanto, parecia distante.
Desses oito netos, meu irmão é o único casado. Nós, os outros sete, ainda somos um projeto inacabado. A não ser pelo Bruno, que está em andamento, e há anos (na)mora com a Gi. Mas, a verdade é que nunca ninguém botou fé na vocação do Bu para a paternidade. Até hoje, quando, em alto e bom som, ele anunciou para a família: "Estamos grávidos".
A notícia, completamente inesperada, emocionou a todos nós. Tia Carmo, mãe do Bruno, vai ser avó. As tias do Bruno vão ser tias-avós. Estão enlouquecidas. Nós, os primos, vamos ser tios, uma vez que aqui em casa somos todos irmãos, e o fato de nossas mães e pais serem pessoas diferentes é mero detalhe.
A dona Vera vai ser bisavó. Agora, ela atende ao telefone com um sorriso, avisando logo de cara o interlocutor: "Mais respeito comigo, agora eu sou bisavó. A mais nova bisavó do pedaço".
E isso tudo me fez pensar em como é fantástico ser mulher. Mulher, mesmo. Porque, agora, nesses nove meses, a Gi vai romper os últimos laços com a infância, a adolescência. Vai deixar de ser filha para ser mãe.
A tia Carmo, além de ser mãe, agora vai ser avó.
E minha avó vai além de todos nós. Vai ser bisa. Bisa Vera. Já pensou?

2 observações:

Luiz disse...

Parabéns!!!! E vai ser tia coruja, né? Diz aí...

Jujuba disse...

Caraca!
e eu já achava sensacional ter avó... imagina bisavó!

Parabéns pra dona Vera..